Dica da Rê – Cardigã

O inverno não me deixa, logo eu que morro de frio, estou fazendo de tudo para superá-lo e em uma das minhas feições eu descobri algo que para mim não é muito bom, mas pode ajudar muita gente por aí.

A dica da Rê é: use cardigã para dar volume no BUMBUM. Não se assuste pois é isso mesmo pessoal.

Eu fiz um cardigã em crochê de lã, pois estava apaixonada por essa moda, e quando fui fazer a prova eu vi que acaba dando um baita volume extra, pra mim é meio que até estranho, fiquei até gorda (hauahuahauhau), logo vim ajudar azamiga. XD

O motivo de tudo isso acontece com o cardigã redondo, ele faz a curva em baixo do bumbum e acaba fazendo um volume bem ali, que acaba dando a impressão de aumento, para mim não é muito bom, mas pra você (azamiga) que gostaria de chamar uma atenção maior para essa região, fica a dica!

Existem vários modelos de cardigã, mas procure experimentar e conferir como ficou, depende muito da lã e existe vários em tecidos mais encorpados, procure por estes.

19400007_1197737027038096_9206847880634427083_n.jpg

A imagem não ficou muito boa, trouxe apenas para dar um exemplo.

O cardigã não é só para azamigas que gostariam de dar um up em seu bumbum, mas também é pra você que gosta de estar na moda. A cada dia mais ele vem crescendo e aparecendo em mídias, é extremamente elegante se saber escolher, é distraído se usar uma cor alegre, é fashion se der uma misturada com acessórios e uma calça bacana, bom ele tem muito a oferecer.

Fica a dica!!!

renata

Tendência Inverno

O inverno está passando e eu ainda não me sinto preparada para encará-lo. As temperaturas estão caindo cada vez mais, aqui no sul está variando de 7º à 13º e em dias mais quentes 19° graus.

Junto com o frio vem as roupas guardadas do guarda roupa e a aquisição de novas peças, pois não achamos o suficiente para nós aquecer com o que já temos, contudo a moda muda e as aquisições novas podem ser trabalhadas com o que já temos e assim gastar o necessário com o essencial, mas como fazer isso?

Bom essa é uma pergunta que é relativa, tudo depende de cada estilo, mas a dica que aqui venho lhes dar é sobre cores, as cores que podem fazer a diferença em suas escolhas.

O inverno normalmente acabam atraindo tons mais fechados e esse inverno não seria difrente. Os tons mais atraentes para 2017 são:

Os tons terrosos estão em alta e também os tons fechados de azul e verde, relembrando o mar e também a natureza.

Aposte em acessórios e assim fique dentro do orçamento como também crie várias opções de looks e ainda assim ficará por dentro da moda deste inverno. 😉

👉 sigam o Mania Graciosa no Instagram – @maniagraciosa e também a página do Facebook – Mania Graciosa. 👉

Resenha crítica – A Bela e a Fera Musical da Broadway 2002/2003

A Bela e a Fera – musical da Broadway que veio dos EUA para o Brasil, o musical fez muito sucesso por onde passou. A versão apresentada é de 1756, adaptada pela Jeanne Marie Le Prince de Beaumont, que quis alcançar o publico infantil, aqueles leitores em formação, fez com que a peça ficasse com poucas tramas e firulas para não atrapalhar a narrativa.

No Brasil a peça foi apresentada em 2002/2003 no teatro Abril e depois retornou em 2009 com outro elenco. O elenco é composto de 40 atores, cantores e bailarinos, dentre eles os personagens principais são: a Bela (kiara Sasso), Maurice (Claudio Curi) o pai da jovem, Gaston (Daniel Boaventura) o galã da aldeia, a Fera (Saulo Vasconcelos), Lumieré (Marcos Tumura) o candelabro, Sra. Potts (Ana Taglianetti) o bule de chá, Chip (Guilheme Lobo) a xícara que é filho da Sra. Potts, Dim-Dom (Jonathas Joba) o relógio e Babette (Keila Bueno) ela é um espanador.

As escolhas dos personagens foram direcionadas aos atores que tinham boa voz e dons musicais, alguma experiência em canto ou músicos que tinham experiência em teatro, pois quase todos os personagens acabam cantando na peça. “As escolhas foram de grande sucesso que até os americanos ficaram empolgados em trabalhar com o elenco.” Diz Daniel Boaventura.

O musical é inspirado no filme da Disney A Bela e a Fera, um enredo clássico que é enquadrado no gênero Mágico e Romântico. A trama é interessante ela mistura a simplicidade textual com a cantoria e faz com que o entendimento seja claro e absorvido pelo publico de qualquer idade.

A Bela e a Fera, conta a história de um príncipe egoísta que foi enfeitiçado por uma feiticeira que o transformou em fera e todos os empregados de sua casa em objetos encantados, Ela deixou para trás uma rosa encantada. Se o príncipe não encontrasse o verdadeiro amor e esse amor fosse contribuído antes que a última pétala caísse, ele seria uma fera para sempre. O príncipe perdia a esperança de livrar-se do feitiço, mas em uma vila próxima, Bela vivia com seu pai, uma jovem que adorava ler e espera um dia viver uma historia igual de seus livros.

A produção é extraordinária os figurinos dos personagens são sensacionais, para quem já assistiu ao filme da Disney consegue ver a proximidade dos detalhes fora da tela da televisão. A forma com que foi escolhido cada detalhe faz com que os personagens que interpretam os objetos se aproximem de uma magia estética e também a fera com toda caracterização da face e do corpo, eram tantos detalhes que foi necessário uma equipe com 26 costureiras que fizeram a grande maioria das roupas a mão.

Dentro da produção ainda temos a exuberância do cenário, com um rico detalhamento e caracterização foi preciso 35 mudanças até finalizar a peça. O jogo de luz é uma parte a qual deve ser valorizado, o movimento da peça e a sensação de sincronização, de continuidade no decorrer da trama só é feito com um ótimo trabalho de iluminação e esta peça merece seus créditos.

Com tudo além de atuação, de cantoria temos também vários bailarinos que fizeram parte do começo ao fim, segundo Daniel Boaventura, tiveram dois meses de ensaios com a equipe americana que são eles o coreografo Matt West e o diretos Robert Joss Roth, e com muito esforço e calos nas mãos obtiveram um excelente desempenho.

Robert Joss diretor original da peça de Nova Iorque, assim como o coreografo, foi primordial para o sucesso de peça. Deu a extrema atenção aos detalhes, caracterização, iluminação, som e ao elenco completo e assim fez um ótimo trabalho, um dos primeiros musicais da Broadway no Brasil com tal magnitude.

A trilha sonora foi seguida originalmente, a mesma do filme, de Alan Menken e Howard Ashmam. Na peça brasileira foram usadas praticamente todas as canções, apenas duas ficaram de fora da obra. As cantorias dos personagens durante a peça foram acompanhadas pela orquestra sonora ao vivo dirigida pelo maestro Miguel Briamonte a qual também conduziu a trilha sonora.

Dentre todas as falas e canções da peça eu destaco duas canções e duas falas, a canção Aconteceu:

(Bela): Ele foi bom e delicado,

Mas era mal e era tão mal educado

Foi tão gentil e tão cortês

Por que será que não notei nenhuma vez.

(Fera): Eu reparei no seu olhar

E não tremeu quando chegou a me tocar

Não pode ser, que insensatez.

Jamais alguém me olhou assim alguma vez.

(Bela): Como ele está mudado

Claro que ele está longe de ser um príncipe encantado

Mas algum encanto ele tem, eu posso ver.

Tal trecho remete o momento em que ambos começam a se apaixonar, começam a perceber os detalhes que gostam um no outro, logo um momento importante da história.

Em seguida destaco a primeira fala, feita pela Fera, é: “Quando ela sorri, eu me engasgo, meu coração bate tão forte que mal consigo respirar.” Não parece tão memorável apenas lendo, mas interpretada mostra toda a emoção e felicidade que ele sente por ela, e o ator consegue passar isso em sua interpretação.

A segunda música de destaque é cantada pela Sra. Potts, Velhas Emoções:

Velhas emoções, nunca vão sumir

Sentimento vem, quando a gente nem

Lembra de sentir

E por ser assim, que o amor espera

Desenhar no chão um só coração

Para a Bela e a Fera

O amor não vê, o amor não diz

O amor só quer sempre surpreender

E fazer feliz

Velhas emoções sempre vão voltar

Sempre vão doer e fazer sofrer

Pra recomeçar

Certo como o sol

Ama a primavera

O amor fará o mais lindo par

Com a Bela e a Fera

Velhas emoções

Todas as canções

Para a Bela e a Fera

Esse é o momento mais memorável e marcante para quem já viu ou ouviu falar na história, é a hora em que a Bela e a Fera dançam. Cantada pela Sra. Potts, a atriz cantou de uma forma apaixonante e emocionante por isso merece destaque, além da clássica dança.

E por sua vez a última fala de destaque na realidade é um diálogo entre a fera e seus companheiros: Lumieré, Dim-Dom e Sra. Potts.

_Bravo, bravo! Sei que tudo anda as mil maravilhas. (Lumieré)

_Eu a deixei partir. (Fera)

_Como pode fazer isso? (Lumieré)

_Tive que fazer. (Fera)

_Mas por quê? (Dim-Dom)

_Porque depois de tanto tempo ele aprendeu a amar. (Sra. Potts)

Tal fala mostra o momento em que a fera a deixa ir ver o pai, pois prefere vê-la feliz e livre do que presa e triste, atitude a qual apenas quem ama o próximo consegue fazer, abrir mão de si e pensar no bem estar do próximo. Sra Potts conclui mostrando que ele depois de muito tempo aprendeu a amar.

Imagens Tiradas do site Teatro Musical Brasil

Agradeço pela visita!

Mochila de malha em crochê – Venda

Esta semana completei mais um projeto, finalizei a mochila de malha e vim mostrar pra vocês como ela ficou e ela também está a venda.

A mochila é feita de fio de malha e todo em crochê, é um pouco trabalhoso pois é feita toda a mão, ela contém 30 x 30 cm e as alças com 57 chegando até 60 cm.

Na cor preta a mochila tem detalhes em metal prateado, são os prendedores das alças e o fecho da mochila, além de contar com um chaveiro de franja feito da mesma malha.

Caso alguém tenha o interesse pode me contatar por:

  • Email: maniagraciosa@gmail.com
  • Fanpage: facebook.com/maniagraciosa via mensagem

As lojas em que se encontram a venda para maior informações são:

Elo 7

FanPage Shop

Como podem perceber os preços estão diferentes, no elo7 existe taxa por isso esse valor. Estou aberta para esclarecer quais quer dúvida.

Agradeço pela visita!